Acredite: fim de ano é época favorável para buscar emprego

Embora muitos acreditem que o período de festas de fim de ano seja ruim para procurar emprego, para especialistas em recursos humanos a época favorece quem busca uma vaga no mercado de trabalho.

“Acho que é uma excelente hora porque muitos vão viajar. Muitos acham que não há demanda, mas a área de contratação não pára, principalmente na área de varejo”, avalia Pedro Scigliano Júnior, gerente regional da agência de empregos Gelre, em São Paulo.

Nesta época, a queda na procura por trabalho chega a 40% nas unidades do Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo, de acordo com o coordenador, Fernando Cerqueira.

Segundo Cerqueira, a razão está na crença de que não há oportunidades disponíveis nesta época. “Mas as vagas surgem ao longo do ano, e muitas são efetivas”, diz.

Segundo os especialistas, as áreas que mais buscam empregados nesta época são o comércio, em razão do pós-venda, e os serviços, em razão das férias escolares.

Menor oferta

Marcelo Scalabrini, diretor de negócios da S&L, empresa de recrutamento e seleção, pondera que, para os candidatos a uma vaga de emprego, a oferta reduzida é compensada pela baixa procura.

Para ele, as contratações não estão no auge, mas “as oportunidades existem, os processos de seleção continuam, mesmo que seja para o início do ano. Por isso, na minha opinião, a hora é sim de se preparar e buscar oportunidades para um início do ano bem otimista”, avalia Scalabrini.

A dica, de acordo com Scalabrini, é procurar até o Natal e após o Ano Novo, porque, entre esse período, muitas empresas param para as festas.

“Mas, no inicio de janeiro, com certeza no primeiro dia útil, haverá uma retomada do preenchimento das oportunidades. As empresas iniciam seu ano fiscal e, para a maioria delas, é hora de contratar o que deixou pendente no ano anterior.”

Maior procura

Fernando Cerqueira, do CAT, disse que, passado o período de festas, nos primeiros dias de janeiro, aumenta em até 30% a procura por trabalho nos centros de recrutamento.

“É cultural as pessoas procurarem emprego depois que as festas acabam, mas há uma queda natural na oferta de empregos em comparação com as vagas temporárias abertas entre outubro e dezembro. A retração é porque as empresas analisam como será o panorama econômico no próximo ano antes de abrir vagas.”

Mas o coordenador do CAT aconselha que os candidatos procurem emprego em qualquer época do ano, mesmo em janeiro, quando surgem muitas chances principalmente no setor de serviços, em virtude das férias.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Concursos_Empregos/0,,MUL920064-9654,00-FIM+DE+ANO+E+EPOCA+FAVORAVEL+PARA+BUSCAR+EMPREGO+DIZEM+ESPECIALISTAS.html

“Você já teve algum problema com o seu chefe?” – Como responder a essa pergunta?

Perguntas como essas podem ser complicadas porque muitas pessoas deixam seus empregos justamente por ter tido algum conflito com seu chefe. Nestes casos, o entrevistador quer descobrir se você  é um profissional que sabe trabalhar em equipe.

Sua melhor opção é não falar sobre conflitos com seu chefe. Evite descrever casos assim e prefira focar em casos específicos (onde a discordância se deu sobre pequenos detalhes) que foram resolvidos e terminaram bem.

Por exemplo: “Tenho a sorte de ter tido relações muito positivas com meus gestores. Em meu último emprego, meu gerente e eu discordamos sobre qual seria a melhor data de lançamento de um projeto. Eu apresentei argumentos fortes para que a minha data fosse a escolhida. No entanto, ele colocou outros argumentos que eu não tinha conhecimento e ficou claro que a sua opção estava mais alinhada com os objetivos macro da companhia.”

Feche falando sobre a importância da comunicação e de escutar os argumentos, tanto de gestores como de subordinados.